A recessão financeira no Brasil serviu como uma prova de fogo aos empresários dos setores da construção civil e imobiliário. Enquanto diversas empresas sucumbiram, outras viram oportunidades de novos negócios mesmo num cenário de incertezas, quando a inflação superava a casa dos 10% ao ano com conseqüente aumento no número de negativados no mercado.

Sem crédito, imobiliárias se viram numa situação complexa, pois precisavam da figura do fiador para fechar contratos de locação, principalmente. “Há um ano, iniciamos a locação de imóveis através do Aluga Fácil, em parceria com a CredPago. É uma forma revolucionária de locação de imóveis pois excluía a necessidade do fiador e usa o cartão de crédito”, explica Caroline Abreu, administradora da Abreu Imóveis, em Natal. Como é uma nova modalidade de negócio, poucas pessoas ainda o conhecem.

locação

Caroline Abreu destaca que 30% dos novos contratos de locação já foram feitos com o Aluga Fácil

De acordo com a CredPago, o serviço funciona da seguinte forma: “o inquilino apresenta os dados pessoais e a última fatura do cartão de crédito com limite de crédito à vista superior a quatro vezes o valor informado. A imobiliária insere as informações no sistema CredPago e em até 15 minutos é dado retorno sobre a análise do cadastro”. Caso aprovado, o contrato de locação é enviado ao locatário por e-mail, eliminado a necessidade de apresentação do histórico calhamaço de documentos necessários á locação de um imóvel.

Além disso, o valor do aluguel não fica condicionado ao cartão de crédito do cliente. No cartão de crédito é cobrada uma taxa de 8% em cima do valor do aluguel referente à prestação do serviço e o aluguel em si é cobrado via boleto bancário.

Na Abreu Imóveis, o número de contratos de locação assinados por essa nova modalidade de serviço, considerada menos burocrática e mais moderna, aumentou cerca de 30% em um ano. “Há uma personalização maior do serviço. O cliente pode ligar, informar o valor do limite da fatura do cartão de crédito, o perfil de imóvel que deseja alugar e, a partir disso, realizamos uma busca do imóvel e de quanto ele poderá pagar com base na informação do limite do cartão de crédito. É uma alternativa menos burocrática e mais ágil”, declara Caroline Abreu. O uso do Aluga Fácil se estende dos imóveis residenciais aos empresariais com possibilidade de negociação do valor da taxa repassada à operadora.

Matéria originalmente publicada em: Tribuna do Norte