Quando se fala em locação, uma dúvida comum que surge é: vale a pena negociar imóveis diretamente com o inquilino? Na verdade, mesmo que essa ação possa parecer atrativa à primeira vista, essa atitude traz alguns perigos para o proprietário.

Geralmente, a opção de locação direto com o proprietário é adotada como forma de agilizar o processo, evitar burocracias e, até mesmo, reduzir os custos. Porém, isso pode trazer alguns prejuízos e muita dor de cabeça para o dono do imóvel.

Por outro lado, a locação com intermédio de uma imobiliária torna o processo mais seguro e vantajoso. Quer entender o motivo? Então continue a leitura deste artigo!

Análise completa do inquilino

Essa é uma das partes consideradas burocráticas, afinal, a imobiliária exige diversos documentos para avaliar o inquilino. Contudo, isso é feito por um motivo muito importante: os rendimentos recebidos e a análise de crédito são fundamentais para reduzir as chances de inadimplência.

A exigência de garantias também é fundamental para o contrato, tendo em vista que traz mais segurança caso o inquilino deixe de cumprir as suas obrigações. Ou seja, pode ser um processo burocrático e até um pouco lento, mas são esses procedimentos que garantem ao proprietário que ele receberá todos os valores devidos pelo contrato.

Alugar um imóvel é uma ótima forma de ter uma renda extra e aproveitar melhor esse investimento, mas se o inquilino deixa de pagar o aluguel, isso trará prejuízos. Mesmo que seja possível entrar com uma ação de despejo e encerrar o contrato, isso demanda tempo e custos (honorários advocatícios, custas judiciais), fazendo com que a suposta economia por não contar com ajuda profissional não valha a pena.

Elaboração de um contrato válido

O contrato de locação é um documento fundamental nesse tipo de negócio, mas precisa ser elaborado de acordo com as previsões legais, com cláusulas que sejam consideradas válidas. Infelizmente, em alguns casos os proprietários criam um documento por conta própria, sem abordar assuntos essenciais ou incluindo regras que são consideradas nulas pela justiça.

Com o apoio de uma imobiliária, é possível evitar esse problema. As empresas contam com um setor jurídico para elaborar e avaliar todas as condições do contrato, garantindo que todos os direitos e deveres das partes são atendidos pelo documento.

Além disso, caso o inquilino solicite mudanças, você contará com o apoio necessário para avaliar o pedido da melhor forma e negociar as melhores condições para locar o seu imóvel.

Intermediação na negociação

Os conhecimentos sobre o mercado e a legislação aplicável que os corretores de imóveis têm também são fundamentais na hora de negociar o aluguel. E não estamos falando apenas do valor da locação. Existem outras situações que exigem o contato entre o inquilino e o locador, como problemas no imóvel, necessidade de reparos ou os reajustes.

Com uma imobiliária intermediando a relação, as partes evitam desgastes desnecessários. Os corretores têm os conhecimentos fundamentais sobre os direitos e deveres de cada um para apresentar as melhores soluções e resolver todas as pendências, incentivando o bom relacionamento entre as partes.

Mais segurança na transação

Com esses benefícios, contar com o apoio de uma imobiliária deixa a transação mais segura. Os corretores devem seguir regras específicas para garantir que não há irregularidades no negócio, além de estarem preparados para esclarecer dúvidas e auxiliar em todas as etapas do contrato.

Dessa forma, negociar imóveis diretamente com o inquilino é arriscado e pode resultar em grandes prejuízos para o proprietário. O apoio profissional é fundamental para garantir uma boa transação, e não vale a pena deixá-lo de lado por causa de uma economia ilusória ou para evitar a burocracia que um bom contrato de locação exige.

Gostou deste texto? Então aproveite para seguir as nossas páginas nas redes sociais — Facebook e Instagram — e acompanhe as nossas atualizações com outras dicas como essas!