O aluguel direto com o proprietário parece bem vantajoso para quem deseja alugar um imóvel. Isso porque acredita-se que, sem a presença de um profissional competente, o contrato de locação pode ser mais benéfico para ambas as partes, por ser menos burocrático e mais lucrativo.

Entretanto, o que parece um benefício pode tornar-se um grande problema, tanto para quem aluga quanto para o dono. Um aluguel sem assistência profissional é cheio de transtornos. Por isso, fique conosco e saiba quais perigos estão ocultos nessas negociações!

Limitação de opções de imóveis para comparar

Ao conversar direto com o proprietário, quem deseja encontrar o lugar ideal para alugar tem suas opções de locais limitadas somente aos imóveis que aquele proprietário tem. Por vezes, esse só tem uma casa ou apartamento a apresentar, comprometendo suas alternativas.

Recomenda-se a assessoria de uma imobiliária ou de um corretor autônomo, que podem apresentar inúmeros imóveis, de acordo com o perfil do cliente, em regiões ou bairros específicos, comparando-os para encontrar o melhor.

Aluguéis mais caros

Grande parte dos aluguéis inclui o pagamento de valores adicionais, como o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), condomínio ou outras taxas adicionais. O grande problema é que tais cobranças não podem ser exigidas de repente.

Quando cobradas de modo inesperado, o valor do aluguel fica mais caro. O desconto inicial conseguido negociando direto com o dono é perdido e quem aluga acaba por pagar mais do que poderia gastar, restando apenas o prejuízo.

Ambos não têm noção dos valores aplicados no mercado e nem da avaliação do custo do imóvel. Essas dificuldades são vencidas por imobiliárias e corretores autônomos. Por isso, invista na prestação de serviços imobiliários.

Desgaste do relacionamento com o dono

Ao longo do contrato de locação, a relação entre o proprietário e quem aluga pode ficar impossível e cansativa. Estresses e desentendimentos, combinados à imaturidade das partes, desgastam tal relacionamento.

Situações difíceis, como reajustes de aluguel, reparos ou obras na estrutura, entre outras, geram problemas e impedem a comunicação com o dono do imóvel. É por essa razão que se aconselha ter uma imobiliária para intermediar o contato e resolver as pendências surgidas durante a relação contratual.

Reajuste de forma abusiva

Uma das questões que causam dor de cabeça aos moradores é o reajuste no valor do aluguel. Em regra, o reajuste ocorre de 12 em 12 meses, sem exigência de garantias. Contudo, é uma oportunidade para o dono do imóvel cobrar um alto valor mensalmente, sem respeitar o intervalo anual.

Com o objetivo de evitar esse desentendimento, indica-se que o acompanhamento do aluguel seja feito por um profissional capacitado e ético.

Falta de amparo jurídico necessário

Quem negocia direto com o proprietário não tem conhecimento técnico necessário para elaborar um contrato de aluguel, conforme determina a lei. Cabe ressaltar que é importante redigir um bom contrato, resolvendo todas as questões burocráticas. Sem auxílio profissional, esses assuntos podem ser esquecidos ou realizados com erro.

Diante disso, é fato que o aluguel direto com o proprietário não é uma boa ideia, em especial para aqueles que estão alugando. Para evitar futuros estresses ou prejuízos, incentiva-se a intermediação de uma imobiliária, para garantir melhores condições, assim como paz, tranquilidade e ótima estadia no imóvel alugado.

Gostou deste post? Então, continue conosco e saiba como escolher um apartamento para alugar!